Munícipio de Montemor-o-Velho

Custom Club Coimbra e Município de Montemor-o-Velho, unidos pela paixão dos desportos motorizados

A quinta edição do “RaceWars Motor Festival” é um motivo de orgulho para organização e autarquia. Unidas pela paixão dos desportos motorizados, as duas entidades abrem as portas a uma competição com prova de êxito firmada e que traz a Montemor-o-Velho ainda mais fãs, partilhando as emoções únicas de automóveis e motos num traçado que começa a ser apelidado de histórico.

Depois do êxito que constituiu as quatro primeiras iniciativas, o “RaceWars Motor Festival” prepara-se, de 15 a 18 de Junho, para viver uma nova fase da sua história. A renovação começa com os pilotos que fizeram furor anteriormente a darem as boas-vindas a novos talentos, em que não falta a enérgica exaltação das mulheres ao volante, num modelo de corridas baseado cada vez mais numa pista que começa a ser lendária de automóveis e motos.

Criado em 2014, o “RaceWars Motor Festival” é já considerado como um dos mais carismáticos moldes de competição de automóveis e motos da actualidade.

Este estatuto tem vindo a ser consistentemente cimentado com uma dinâmica que promete novas evoluções durante os próximos tempos, mantendo, de forma irrepreensível, a regra das emoções fortes e múltipla adrenalina.

A aposta passa, naturalmente, por manter a pista junto ao Centro Náutico de Montemor-o-Velho, em que a frescura do rio Mondego acende o entusiasmo contagiante para quem “mergulha” nas sensações fortes de um traçado convidativo a perder o fôlego de contentamento. «Parece ter sido feito especialmente para este evento», afiança Luís Sequeira, Presidente do Custom Club Coimbra, que pretende continuar a projectar Montemor-o-Velho com a mesma convicção no «panorama nacional das provas de arranques, no movimento tuning e motociclista» e criar uma “tradição” que «fidelize as centenas de milhares de amantes» dos desportos motorizados.

Com o castelo a servir de pano de fundo, o “regimento de cavalaria” que são as viaturas e os seus múltiplos “cavalos”, neste caso os motores guardados debaixo do capot das máquinas, têm por “missão” electrizar os milhares de espectadores esperados nos quatro dias em Montemor-o-Velho.

Por outro lado, o “RaceWars Motor Festival” continua a ser a fórmula encontrada para prestar o tributo ao conceito “Custom”, cuja arte do transformismo e personalização de veículos vai predominar do primeiro ao último dia, independentemente da dimensão das viaturas em exibição.

Para o Município de Montemor-o-Velho, que apoia o evento, esta é mais uma forma de dar visibilidade ao concelho e ao Baixo Mondego de uma forma muito acelerada. «Continuamos a ver neste evento uma forma de projectar o concelho e contribuir para a sua dinamização. A julgar pelos anos anteriores, milhares de pessoas convergem para Montemor-o-Velho, contribuindo, favoravelmente, para a economia local», afiança Emílio Torrão, presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho.

O autarca refere ainda que, desde a primeira hora, «nos propusemos acolher este evento, desde que salvaguardadas as estruturas em que vai decorrer» e «garantido um nível de segurança elevado», condições que a organização acautelou.

«Quem vier a Montemor vai perceber que está perante um concelho com muitas potencialidades. Estamos a trabalhar para torná-lo mais dinâmico e mais movimentado», sustentou, em jeito de aceleração vertiginosa, Emílio Torrão.


by Carlos Sousa

Seja de carro, a pé, de bicicleta ou a cavalo, Montemor-o-Velho convida à contemplação, à atenção ao detalhe das ruas dos centros históricos. Do alto dos miradouros de Reveles ou de Montemor-o-Velho desfrute de uma paisagem ímpar, que vai mudando tranquilamente de cores ao longo das estações, e apaixone-se pelo Baixo Mondego.

O Centro de Alto Rendimento de Montemor-o-Velho, projetado para acolher as modalidades de canoagem, natação, remo e triatlo, enquadra-se no âmbito do desenvolvimento do alto rendimento desportivo a nível nacional, por via da criação de infraestruturas únicas que, beneficiando das condições ímpares do Baixo Mondego, se revelam num espaço de excelência para o treino e competição a nível internacional.

A região onde se encontra o concelho foi povoada desde tempos bastante antigos. Há vestígios arqueológicos um pouco por todo o lado, mas é de realçar, pela proximidade com Montemor-o-Velho, o povoado de Santa Olaia, que se situa junto ao cruzamento para a Ereira, e que foi profundamente estudado aquando das obras do troço do IP3.

Na gastronomia a ementa é variada. Recomenda-se o arroz de lampreia, o sável frito, as aves de capoeira, com destaque para o pato assado ou de cabidela, a sardinha na telha acompanhada da indispensável broa. Na doçaria a referência obrigatória vai para os doces conventuais: pastéis de Tentúgal, as queijadas de Pereira e de Tentúgal, os papos de anjo e as barrigas de freira, a que se juntam as não menos famosas e saborosas espigas doces de Montemor-o-Velho, as papas de moado e o arroz doce.